domingo, 9 de maio de 2010

6ª Corrida das Pontes

Hoje participei na 6ª edição da corrida das pontes, confesso que tinha como objectivo para esta prova correr os 10 km em menos de 40 minutos, mas os treinos das ultimas semanas tem sido bastante longos e a ritmos mais modestos pelo que senti bastante falta de ritmo e acabei por fazer 40'19'' (40,15'' para os 10.020 metros no Garmin).
A viagem para Coruche fez-se debaixo de um dilúvio, mas nos momentos que antecederam a partida a chuva parou e durante toda a prova as condições foram as ideais (talves um pouco de humidade a mais). O CLAC - Entroncamento estava em força, na linha da partida tinhamos 17 atletas dispostos a dar o melhor, a prova deste ano teve um percurso diferente (confesso que gostei mais do circuito do ano passado) mas continua praticamente plano, as rectas são bastante longas e provavelmente por estar habituado a fazer provas em trilhos senti alguma monotonia na corrida.
Parti na companhia do companheiro de equipa Marçal, que também tinha como objectivo baixar dos 40' aos 10km, mas após o km inicial em 3'45'' tive de reduzir o ritmo e optar por ritmos mais lentos, o 2º km foi percorrido em 3'49'' e o 3º km em 3'57''.

O ritmo agora estava mais confortável, realizei o retorno (o qual não tinha controlo) e agora a corrida fazia-se em sentido contrário, 4º km corrido em 4'01'' e 0 5º km em 4'03, passagem pela zona da meta e início da segunda volta num percurso diferente.

No início da 2ª volta senti que continuava a quebrar o andamento, o Marçal e o Luís Rei seguiam ligeiramente à minha frente, mas eu não conseguia chegar lá. Um pouco depois chega ao meu lado o Fernando Farinha, corremos algum tempo lado a lado mas o 6º km foi ainda mais lento 4'06'', digo ao Farinha para seguir e tentar chegar à frente junto dos colegas Marçal e Rei pois sentia que o meu andamento continuava a quebrar, 7º km em 4´11''. A prova seguia em direcção ao segundo retorno (este sim com controlo de chip) e no regresso senti que estava na hora de arriscar, tento forçar um pouco mas o vento estava de frente e a recta era enorme, 8º km em 4'05'', 9º km em 4'07'', entramos em Coruche e já cheira a meta, consulto o cronómetro e vejo que estou no minuto 39, forço ainda mais e corro o último km em 3'59''.

No final a registar para mim um novo record pessoal nesta 2ª encarnação, com 40'19 para os 10km, conseguindo ficar em 81º lugar da geral (24º veterano 1).
A Otília conseguiu também um novo record pessoal com 49'26'', alcançando o 270º lugar da geral (8ª veterana).
No final ainda tempo para rolar um pouco junto às margens do rio Sorraia, afluente do Tejo.

Agradecimento especial à Isabel pelas fotos



Nota: Um aspecto que penso ser possível de melhorar nas edições seguintes, não se compreende que as t-shirts sejam de tamanhos L e XL, pois a maioria dos atletas é ectomorfo e mesomorfo. Também não se compreende a fila para entrega do saco, quando poderia ser entregue no final do funil de chegada aquando da entrega do chip.

9 comentários:

Vitor Veloso disse...

OLÁ Brito,
Foi um prazer de revelos novamente, para semana teremos a Meias da Areia sendo o seu auge o almoço de convívio entre bloguistas e famílias.
Parabéns pela prova, muito bom.
Abraço bjs Otília
Boa semana
Vitor Veloso

Carlos Lopes disse...

Parabéns Brito

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

A Otília, está não tarda nada a alcançar os meus records, e quem sabe a passá-los. É assim, com trabalho, há sempre resultados.

Parabéns para ela também pela marca, mas mais ainda pela participação e persistência nos treinos e no trabalho que tem levado a tão magnífica evolução.

Beijinhos aos 2

Ana Pereira

António Almeida disse...

Olá Brito e Otília
Parabéns aos dois pelas provas que fizeram e pela forte presença do CLA em Coruche.
A família gostou muito de vos rever.
Abraço e esperemos que até domingo.

Paulo disse...

Oh meu, já te andas a esticar outra vez. O que é preciso é andares a sentir-te bem. Um abraço amigo
Saldanha

luis mota disse...

Olá Brito e Otília!
Depois da montanha o regresso à estrada com andamento e boa disposição.
Parabéns pelos resultados alcançados em Coruche e boa sorte para as jornadas que se aproximam.
Aproveito para saudar a comitiva do CLAC e os felicitar pelo espírito de grupo que permanece ao longo dos anos.
Luís mota

Mário Lima disse...

Brito

Para iniciar vou dizer que é um prazer enorme encontrar-te mais a Otília (que a posso considerar minha "madrinha" na prova das Terras de Sicó, pelos bons conselhos dados a um inexperiente como eu nesse tipo de provas), pois são um casal simpatiquíssimo e sempre com um sorriso do tamanho do mundo.

Sobre a prova de Coruche, um belo tempo e como não conheci a prova no trajeto do ano passado, só tenho a considerar que para 10.000 metros as rectas não estavam nada mal, se fosse numa meia (como a de Setúbla) seria recta a mais.

:)

Agora, vou-me alongar um pouco e desculpa o lençol, vou referir a prova que foi organizada pelo CLAC de Almouros onde vocês os dois foram os mentores dessa 1ª edição.

A imagem que tenho no meu blogue como pano de fundo, é para mim (por enquanto) um marco. Um marco pelo que sofri, pois nunca em 20 anos de corrida tinha levado com uma prova assim. Fiz várias maratonas, já subi e desci em provas de estrada mas nenhuma se comparou aos Trilhos de Almourol.

A dor que se me alojou no ombro, corria só com um braço pois o outro tinha-o que ter inerte, a lama, as pedras rolantes, as "paredes" encontradas e o aumento dos kms, fez com que chegasse ao fim numa lástima.

Confesso que quando falaste connosco depois da prova, no almoço e referiste que tinhas passado de 35 para 38,5km (afinal foram 40) devido a problemas surgidos à última hora, tive a vontade de dizer que Almourol nunca mais. Mas depois a frio reconheci que foi uma prova de mérito. Por tudo aquilo que passei, pelos arranjos de última hora que vocês tiveram que fazer, pelo percurso (o das Terras de Sicó e de Vale de Barris também são maravilhosos) só te tenho a agradecer, como a toda a organização, pelo que me deram, pois nunca pensei que um dia iria participar numa prova que iria colocar ao limite a minha prestação.

Para quem foi um jovem, esteve nos Comandos em provas de resistência até quase ao limite, tu e todos os da CLAC fizeram-me ver que afinal ainda essa resistência mora dentro de mim. Nunca mais tinha sido era posto à prova. Assim Almourol ficou como a charneira de todas as outras provas que em trilhos venha a fazer.

O fundo da vossa prova ficará no meu blogue enquanto não houver outra que ma faça esquecer os 40km corridos em Almourol. Dentro de dias estaremos na Geira Romana. Será pior? Será melhor? Não sei, só sei que não esquecerei o que a Célia Azenha me disse em «Vale de Barris» quando a questionei sobre a prova:

«Mário quem correu Almourol, corre em todo o lado».

Espero bem que sim!!!

Abraços duplos!

Joaquim Ferreira disse...

Olá Caro Brito!

Quero agradecer a visita ao meu Blogue e as palavras lá deixadas!

Por outro lado quero dar-lhe os Parabéns, pois vejo que é um Atleta de "fibra" como tantos que por ali vejo (à minha frente) :~)), sempre a fugir-me eh eh !

Espero encontrá-lo no próximo Domingo na Costa da Caparica no nosso "Meeting", para finalmente o conhecer!

Um grande abraço e continuação dessa garra!

António Bento disse...

olá Amigo Brito
que grande estilo, grande domínio a seguir à corrida ainda ir limpar o ácido láctico que se acumulou ... ;)
Parabéns e votos de óptimos treinos, para os desafios que se seguem.
no Guincho lá nos encontramos.
Abraço
AB - Tartaruga