sexta-feira, 7 de outubro de 2011

23ª Meia Maratona Cidade de Ovar

Desta vez desloquei-me a Ovar sem a companhia da Otília, ainda não eram 6h00 e já a comitiva do CLAC estava a caminho. A viagem correu bem e à hora marcada deu-se a partida, perto de 2100 atletas (recorde de atletas inscritos) fizeram-se à estrada, para percorrer os 21,097 metros da Meia Maratona Cidade de Ovar.

O vencedor da geral masculina foi o atleta Sérgio Silva do Maratona e que recentemente se sagrou campeão do mundo de duatlo, com a marca de 1h05:12, a nível feminino a vitória sorriu à atleta Jéssica Augusto, individual, que obteve a marca de 1h09:13, novo recorde da prova.

Parti para Ovar com um objectivo, tentar correr a meia maratona em menos de 1h30.
Com um dia de sol bastante quente (até mesmo para um dia de Verão quanto mais para Outubro), a prova correu-me dentro das minhas expectativas. Parti no meio do pelotão com um ritmo não muito intenso. Após me desembaraçar daquela multidão (alguns atletas com ritmos bastante lentos e que teimam em partir lá na frente) entrei num ritmo confortável que me permitiu ultrapassar algumas centenas de atletas, até que perto do 8ºkm encontro o meu colega de clube Jorge Santos, decido abandonar a minha boleia (uma atleta do grupo de triatlo dos Galitos) e fico com o meu colega de clube. A companhia era agradável e o ambiente também, mas foi sol de pouca dura pois após o abastecimento dos 10kms o Jorge teve de fazer um desvio para libertar líquidos acumulados…
Fico sozinho… e faço um esforço para me colar a um grupo que seguia 50 metros à minha frente, passo os 11kms e viro para o Furadouro, pouco depois começam a passar do outro lado da avenida os atletas que lideram a prova. Vou observando e correndo, sinto-me bem e vou passando alguns atletas, entre eles o Silva de Águas Belas (meu colega de clube na outra encarnação), passagem pela marginal junto à praia e uma ligeira brisa fresca que soprava vinda do oceano soube mesmo bem. Passagem pelo abastecimento dos 15km, pelos 16km e ainda me sentia bastante bem, na viragem para o retorno começo a sentir uma ligeira dor de burro que não me impede de correr, passagem pelos 17km, viragem aos 17,5km e aqui é que a coisa se começou a complicar, as dificuldades aumentavam, a dor passou a ser mais forte e pouco depois da passagem pelos 18kms sou forçado a parar… nesse preciso momento passa o Jorge, que depois de se “aliviar” vinha tentando chegar à frente para novamente seguirmos juntos…

Motivado pelo seu incitamento recomeço a corrida mas a um ritmo mais lento, entro na longa recta que nos leva de volta a Ovar e consigo correr novamente mais rápido, passagem aos 20km e começo a ver 50 metros à minha frente o Jorge, forço um pouco mas a dor de burro obriga-me a manter a calma, vamos nos aproximando da meta e a distância mantêm-se, já depois de passar pelo quartel dos bombeiros e aproveitando a ligeira descida tomo a decisão de acelerar, último esforço e já bem pertinho da meta alcanço o meu colega e terminamos a prova juntos (já assim tinha acontecido nas Fogueiras em Peniche).

Tempo final 1h30:43 (1h29:55 no meu Garmin), alcançando o 461º lugar da geral.

2 comentários:

Mário Lima disse...

Brito

Não há melhor 'handicap' do que ver à frente um companheiro de corrida.

Aí fazemos das fraquezas forças só para ter o prazer de o alcançar.

:)

Mesmo com 'dor de burro' lá conseguiste cortar a meta dentro do tempo que tinhas estabelecido.

Parabéns!

luis mota disse...

Parabéns pela prova e pela vossa contribuição na promoção do evento.
Votos de boa prova no domingo.
Luís Mota