terça-feira, 16 de junho de 2009

II Ultra Trail Via Nova - Geira Romana

Esta foi a nossa primeira Ultra (45,1km) e não será certamente a última, pois ficámos com o bichinho cá dentro.
Sábado dia 13 de Junho, saída do Entroncamento às 14h00,chegada a Lóbios - Espanha às 18h00 (portuguesas), levantamento dos dorsais no Pavilhão Multiusos de Lóbios e montagem da tenda de campismo no relvado da piscina municipal (gentilmente cedido para servir de camping), pelas 21h00 briefing no Multiusos com os "Romanos" Moutinho e José Ribeiro, que após uma saudação "Avé César" nos informaram das condições da Geira e quais as regras para efectuarmos a Ultra sem problemas.
Deitámo-nos pela meia noite mas depois de 5h00 de sono já não consegui dormir mais, no entanto só pelas 5h30 da manhã nos levantámos, para preparar as bebidas isotónicas, tomar o pequeno almoço e realizar os restante preparativos.
As 7h00 (portuguesas) já estavamos no autocarro que nos levaria até Paredes Secas, local de partida desta Ultra, após uma viagem de cerca de 2h00 com curva e contra curva pelo Parque do Gêres, que provocou alguns vómitos e enjoos, lá chegámos finalmente.

Depois de realizarmos um mini aquecimento e a verificação do sicard,

ouviu-se mais uma vez a saudação de "Avé César", fez-se o Juramento da Ultra Trail e debaixo de um ligeiro aguaceiro lá se deu a partida desta Ultra Aventura.


O ritmo inicial de corrida foi confortável, no entanto a Geira Romana, apresentava-se com o piso bastante irregular, com bastante água e lama o que dificultava a progressão. Após o 1º Km a Otília deu-me luz verde para fazer a minha prova, aumentei ligeiramente o ritmo e lá fui correndo, tirando algumas fotos ao percurso e tentar encontrar os 7 postos de abastecimento e 5 postos de controlo.

Até ao posto de abastecimento/controlo do Museu da Geira, ao 27º km onde passei com 2h51,57 não senti grandes dificuldades, as condições climatéricas eram as ideais apenas o piso irregular dificultava a corrida.

No entanto o desgaste de saltar de pedra em pedra, os muitos quilómetros a tentar fugir da água e da lama começaram a fazer estragos aos 35km, onde na subida para a Portela do Homem fui obrigado a parar sentar-me numa pedra e sacar de mais um gel da mochila para recuperar as energias.
Depois no último abastecimento aos 38km nova paragem para atestar o camel back, comer marmelada, banana, coca cola e isostar e lá voltei eu à corrida tentando acompanhar dois colegas de prova que entretanto tinham chegado ao posto de abastecimento.
Mas as forças eram poucas e nem 500 metros consegui acompanha-los pois comecei a ter cãibras nas virilhas e nos quadricipedes, tive de me sentar no solo e esticar o mais que pude, mas a coisa não estava fácil, pensei para comigo "como seria possível percorrer os últimos 5km para acabar a prova", mas então recorri a uma pequena reserva de sal que tinha na mochila (esta dica aprendi no fórum do mundo da corrida, num dos aventureiros dos 101 km de Ronda), coloquei umas pedras de sal na boca e com uma golada de água lá foi.

Levantei-me, comecei a andar e depois num ligeiro trote, para pouco depois já estar a correr novamente e em ritmos abaixo dos 6'/km (também era a descer), até à meta não voltei a ter cãimbras e cheguei mesmo a passar cerca de 10 atletas.

Tempo final 5h40,22 para percorrer os 45,1km de prova, no meu GPS 46,9km (deve de ter sido das curvas que fiz). No final de receber a minha placa de madeira com as inscrições de II Ultra trail Geira Romana, abasteci-me na tenda com coca cola, água, sandes e fui até ao rio que corre mesmo ao lado da meta, sentei-me na margem com as pernas dentro da água fria e senti-me bem.

Agora havia que esperar pela Otília, fui várias vezes à folha de resultados (que estava a ser constantemante actualizada) para ver se tinha conseguido cumprir o tempo intermédio obrigatório de 3h30 aos 27km, mas o nome dela não constava, o que era bom sinal, mas a segunda parte da prova é bastante mais dura que a parte inicial, por isso estava preocupado, pois não sabia qual o seu estado.

Os atletas vinham chegando com intervalos de vários minutos, eis então que passado algum tempo lá vem ela acompanhada da Céu e do Fernando Fonseca (do Mundo da Corrida) e cortou a meta no tempo de 6h28, 51.

Fomos os dois novamente para dentro do rio, a Otília estava super feliz, eu também, havia troca de sensações vividas entre todos os participantes, depois apanhamos um dos autocarros cedidos pela organização fomos até às piscinas municipais onde tomámos um banho fresquinho e fomos para o pavilhão almoçar já depois das 17h30.
Mas o dia ainda não tinha terminado faltavam 4 horas de viagem, para finalmente podermos descançar.
Foi sem dúvida uma experiência fantástica, podermos conhecer o Gêres de uma forma como nunca tinhamos imaginado, as paisagens são fantásticas, a Mata da Albergaria com água por tudo a lado (e bem fresquinha), cascatas, nascentes e também existe muita lama com bosta de boi...
Agora já somos ULTRA e para o ano esperamos voltar.
JCBrito


7 comentários:

joaquim adelino disse...

Amigos Brito e Otília, parabéns pelo sucesso alcançado ao concluírem a prova. Decerto que foi difícil mas isso torna o desafio mais aliciante e a chegada emocionante.
Amigo Brito ao longo do relato foi deixando umas dicas que eu fui apanhando com muita atenção e que me vão ajudar a superar o Trail Melides/Tróia de 26/7.
Francamente gostava de os ter por lá, era uma boa oportunidade de a Otília me dar, desta vez, um empurrãozinho.
O tempo final foi excelente, se bem que no contexto geral seja encarado apenas como mais um pormenor.
Um abraço e até ás Fogueiras.

Fernando Andrade. disse...

Amigos Brito e Otília
PARABÉNS por terem ingressado no "mundo dos ultras".
Pelo que nos contas e pelas fotos que nos mostras, a Geira fica-me "atravessada". Desta vez, porém, a maluqueira deu-me para trocar a frescura do Gerês pela "frigideira" de Colmenar Viejo, a dois passos da Serra onde vai desenrolar-se o Alpino Madrileno.
Grande abraço.
FA

MPaiva disse...

Brito,

Os meus sinceros parabéns pelo feito que conseguiram de fazer essa magnífica prova. Imagino que não tenha sido nada fácil, pois o percurso, sendo muito bonito e carregado de ar puro, é muito longo e tem um piso irregular e bastante acidentado.

abraço
MPaiva

Ricardo Baptista disse...

Parabéns por terem superado bem esta ultra. Deve ser um grande espetáculo essa prova, pelas fotos e pelo relato, fiquei com vontade de a fazer.
Estão em grande forma.
Um abraço.

luis mota disse...

Olá companheiros!
Fantástica participação.
O post e as fotos contagiam qualquer um.
Um desafio superado com sucesso.
Luís mota

Carlos Lopes disse...

Ola Brito e Otília.

Os meus parabéns, mas isso é de loucos. correr em estrada ainda vou lá agora no meio do mato.. afff. Mas os meus parabéns, muitos tentam, poucos conseguem...


O joelho esta melhor, e em 15 dias poupei 51 euros em cigarros

JOSÉ NARCISO disse...

Parabéns aos dois pela excelente prova efectuada com exito!!!
Não deve ter sido nada facil mas a paisagem compensa e no final o sabor é diferente!!!
Parabéns
José Narciso