segunda-feira, 16 de março de 2009

A Minha Corrida das Lezírias 2009

Fui a Vila Franca de Xira no dia 15, para correr pela segunda vez a Corrida das Lezírias, a primeira na distância de 15km.
Depois de uma horita de viagem pela A1, lá cheguei a VFX na companhia do Vítor Silva e do Luís Rei, ambos atletas do CLAC – Entroncamento, clube que estou a representar este ano em algumas competições, rapidamente fomos levantar os dorsais e tentar encontrar os restantes elementos da equipa o Lucrécio Dias, José Garrafão e António Matias.
A agitação era bastante junto do Pavilhão do Cevadeiro, no meio de tantos atletas consigo avistar o Carlos Lopes e o Joaquim Adelino, uma conversa curta e “Ala que se faz tarde” havia que começar os preparativos para a aventura que se aproximava e ainda faltava distribuir os dorsais aos outros elementos da equipa.
Como a temperatura já se fazia sentir, resolvi correr de chapéu e com o meu cinto com abastecimento líquido. Depois veio um contratempo, ao colocar a banda para controlar a minha frequência cardíaca durante a prova, a mola partiu-se….
Lá fui para junto da partida realizar um mini aquecimento, ainda encontrei o Luís Mota e lá desabafei com ele “partiu-se-me a banda, não vou poder saber a minha FC” ao que ele responde “eu corro sempre sem a minha”, bem perante tal facto pensei que também poderia correr sem banda e tentar avaliar a minha intensidade da corrida por um parâmetro mais subjectivo ou seja a minha vontade de correr mais rápido ou mais lento.
Nos momentos que antecedem a partida ainda encontro o Joaquim Adelino, a partida é dada ao som da buzina, ligo o cronómetro e começo a correr.
O ritmo da partida não me pareceu rápido e então lá fui…, pouco depois vejo o Carlos Lopes a passar por mim numa velocidade que não me permitiu acompanha-lo, continuo a correr, a multidão de atletas é grande não consigo ver o 1º e o 2º km, depois já a saída da ponte encontro finalmente o 3ºkm, passagem em 13,03 (média de 4,21/km), percebo rapidamente que o ritmo está elevado e que tenho de reduzir para que a parte final da prova não se transforme num calvário.
A Entrada no 4ºkm coincide com a entrada na terra batida, percurso plano com uma boa paisagem com campinos, cavalos e o rio Tejo ao nosso lado, tento controlar o ritmo os quilómetros são corridos mais lentos e a passagem aos 10km foi feita em 44, 24 (média de 4,27/km).

Os quilómetros já se faziam sentir nas pernas e a temperatura em todo o corpo, na passagem pelo abastecimento aproveito para beber e refrescar-me, entrada nos últimos quilómetros piso novamente em asfalto, a ponte parece não ter fim (principalmente a parte da subida) o ritmo passou para os 5,00/km, depois veio a descida e a entrada na cidade o ritmo voltou a despertar, mas o eterno pensamento “Vai com calma Brito”, “Deixa estar que assim já está bom”, “Melhor assim que nada” fez com que a velocidade final não fosse demasiadamente rápida, conseguindo assim fazer a última légua em 24,33 (média 4,55/km).
O tempo final foi no meu cronómetro de 1h08,57 e 1h09,01 oficial obtendo o 371º lugar da geral em 1384 classificados.
Depois de retirar o chip entrei no Pavilhão e veio a segunda parte da prova, 11 marquesas (segundo o Joaquim Adelino) esperavam pelos atletas que quisessem uma massagem recuperadora. Enquanto estava na fila ainda tive a oportunidade de falar com o António Almeida e o Daniel.

Após alguns minutos de espera (perfeitamente compreensível para uma prova desta envergadura) veio a tão merecida massagem… e que massagem. Os meus parabéns a todos da equipa de massagistas pois as pernas eram muitas e nem por isso o trabalho deixou de ser feito com profissionalismo.
Os meus parabéns também a toda a organização e a todos os atletas presentes.
Fotos retiradas do blog do Joaquim Adelino, António Almeida e da AMMA, a todos obrigado.
Bons treinos
JCBrito

6 comentários:

Mark Velhote disse...

Viva

Também só uso a banda nos treinos! Nas corridas não costumo usar porque parece parece incomodar-me os movimentos...:D
Parabéns pela prova !

Abraço

António Almeida disse...

Boa prova amigo Brito e bom que ainda deu para alguns minutos de conversa no final.
Continuação de boas corridas.
Abraço.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Olá

Pena não nos termos encontrado...

Um beijinho para ti e para Otília

Ana Pereira

joaquim adelino disse...

Amigo Brito
É sempre um prazer enorme encontrá-lo e conversar um pouco consigo. Tive pena de não ver a Otília, mas compreendo os motivos da sua ausência.
Pela marca que fez revela-se que a recuperação continua a ser uma realidade, oxalá assim continue.
Parabéns por isso e pelo esforço que está a fazer.
Continuação de bons treinos e até uma próxima.
Um abraço.

luis mota disse...

Olá Brito!
Independentemente do resultado, que foi excelente, fico muito contente com o teu regresso.
Correr a menos de 5, dadas as circunstâncias, é muito bom. Sei das tuas capacidades e faço votos que progressivamente consigas voltar ao teu ritmo.
Cumprimentos para todos da família Mota

BritoRunner disse...

Obrigado amigos por todas as palavras de apoio, espero poder continuar no mundo das corridas por mais uns anos e com o vosso incentivo certamente vou conseguir.

Obrigado a todos
JCBrito